ENEM por Escola 2016: entenda a divulgação extraoficial



Em setembro publicamos artigo sobre o fim do Enem por Escola e não prevíamos que ainda em 2017 já estaríamos enfrentando as consequências da nova postura do INEP. A publicação dos Microdados do ENEM 2016 possibilita que os cálculos e a divulgação dos resultados sejam feitos por qualquer pessoa ou instituição. E foi isso que a consultoria Evolucional fez mas, rapidamente, tentou desfazer. Em nota de esclarecimento a empresa informa em seu site:

Após o contato de algumas escolas apontando alunos associados a elas nos Microdados oficiais divulgados pelo Inep, referentes ao Enem 2016, que não faziam parte da instituição, decidimos tirar do ar a ferramenta que exibia as médias e rankings de cada uma destas escolas. Orientamos as instituições que se enquadrem nesta situação que entrem em contato diretamente com o INEP solicitando a correção destes dados, que constam na página oficial do Instituto, no endereço: http://inep.gov.br/microdados

Apenas tentou desfazer pois isso já foi o bastante para o Estadão divulgar em seu site o trabalho da consultoria, inclusive publicando um ranking em PDF contendo 6006 escolas identificadas e muitas outras sem identificação. O fato resultou em contestação por parte do Colégio Objetivo Integrado que, também em nota disseminada pela própria Evolucional, busca corrigir a informação. Já o Colégio Farias Brito comemora em uma nota também compartilhada pela consultoria e a imprensa cearenses enaltece as instituições fortalezenses presentes no topo da lista. Esses acontecimentos mostram que precisamos de um cuidado um pouco maior na divulgação das estatísticas educacionais brasileiras e, por isso, devemos entrar mais a fundo em alguns pontos dessa questão.

A mudança nos Microdados de 2016

Aquele que acompanha de perto sua publicação perceberá que os Microdados de 2016 carecem do arquivo de consistência com o Censo, que os acompanhou de 2013 à 2015. Sem esse arquivo, devemos recorrer a uma lógica diferente das publicações realizadas pelo INEP nos últimos anos, que se pautavam principalmente no cruzamento das informações prestadas pelos candidatos no ato da inscrição com os dados fornecidos pelas escolas no preenchimento do Censo Escolar. Por isso, tanto em 2012 (cujo arquivo também não está presente nos microdados) como em 2016, as análises devem ser baseadas na declaração do candidato, que por motivos diversos pode prestar informação diferente acerca de qual escola estuda.

Os dados e cálculos da Evolucional

Apesar de não termos acesso aos dados publicados pela Consultoria Evolucional, usamos os dados disseminados pelo Estadão e os próprios microdados de 2016 para identificar a metodologia e reproduzir os cálculos. Segundo nossa análise os dados apresentados usaram apropriadamente os filtros de seleção dos participantes, a partir das variáveis disponíveis no dicionário:

  • TP_ST_CONCLUSAO = 2 (“Estou cursando e concluirei o Ensino Médio em 2016”)
  • TP_ENSINO = 1 (Ensino Regular)
  • TP_PRESENCA_CN = 1 OU TP_PRESENCA_CH=1 (Presente nas provas do primeiro dia)
  • TP_PRESENCA_LC = 1 OU TP_PRESENCA_MT=1 (Presente nas provas do segundo dia)

A partir daí a produção das médias de cada escola foi feita usando-se a média aritmética das notas dos alunos participantes nas provas objetivas. Constatamos também que a consultoria só disponibilizou os resultados de escolas que haviam ultrapassado 50% de participação e com mais de 10 participantes no exame, regras definidas pelo INEP para essa publicação em anos anteriores. Apesar de não haver problemas na produção dos dados, a contestação do Colégio Objetivo Integrado ainda é válida, tanto que foi aceita pela consultoria. Ela se baseia nos dados do Censo Escolar, onde, realmente, foram registrados apenas 41 alunos matriculados na unidade. E segundo nossos cálculos, declararam-se como alunos dessa escola no ENEM exatamente 44 participantes, e suas notas compõem a média divulgada. A taxa de participação, portanto, excede 100% em muitas instituições escolares que aparecem nos resultados, dado esse que está omisso na publicação do Estadão.

Os dados e sua divulgação extraoficial

Compreendemos todas as questões postas nessa divulgação e, entre elas, as polêmicas que elas podem suscitar. No entanto acreditamos que se os dados existem, eles devem estar à disposição da sociedade. A Consultoria Evolucional produziu um cálculo estatístico válido, porém, contestável, como podem ser quaisquer divulgações desse tipo de resultado. Em contribuição a esse tema você pode adquirir os resultados extraoficiais do ENEM por Escola, com base nos Microdados de 2016 produzidos por Educadata, usando metodologia descrita na própria planilha.