Onde encontrar os dados da educação básica no Brasil



Para quem já tentou sabe que não é nada fácil encontrar os dados educacionais brasileiros na íntegra. O desafio de organizá-los e analisá-los começa quando visitamos a maior fonte deles: o site do INEP. Mas agora vamos fazer uma pequena relação de tudo que está disponível para download, de acordo suas fontes originais.

Sinposes Estatísticas da Educação Básica (INEP)

Organizadas por ano desde 1995 até 2016 as sinopses produzidas pelo INEP reúnem as informações elementares que caracterizam a oferta da educação básica no Brasil, como o número de matrículas, instituições, docentes e turmas. Esses dados, oriundos todos do Censo Escolar, podem ser encontrados agregados geograficamente por Brasil, regiões, estados e, a partir de 2015, por município. As agregações de caráter educacional são, principalmente, por etapa e por modalidade. Mas outras agregações estão presentes como por dependência administrativa, sexo, cor/raça e faixas de idade. Até 2006 ainda é possível encontrar nas sinopses as informações de movimento e de rendimento como transferências, aprovação, reprovação e abandono. A partir de 2007 dados como movimento e rendimento passaram para uma consolidação específica.

Acesse: http://portal.inep.gov.br/sinopses-estatisticas-da-educacao-basica

Indicadores Educacionais (INEP)

O INEP também produz algumas estatísticas da educação básica que servem a propósitos diversos. Algumas delas trazem indicadores importantes como a Aprovação, Reprovação e Abandono desde a agregação por estado até a agregação por escola. Outro indicador essencial para o monitoramento do fluxo escolar é a taxa de distorção idade-série, também disponíveis entre esses dados. Mas o instituto responsável pelo Censo Escolar também investe em outras maneiras de analisar o cenário educacional brasileiro e disponibiliza inúmeras estatísticas relacionadas a matrícula, docentes e turmas. Algumas bem recentes que ainda não são muito observadas como o indicador de Complexidade de Gestão, o indicador de Regularidade Docente e as Taxas de Transição com promoção, repetência e evasão escolar anuais. Apesar da diversidade um dos problemas é que os dados absolutos estão ausentes, mesmo para indicadores cujas fontes não estão disponíveis publicamente, como é o caso da aprovação, reprovação e abandono.

Acesse: http://portal.inep.gov.br/indicadores-educacionais

Dados do Índice de Desenvolvimento da Educação Básica – IDEB (INEP)

Os dados do IDEB unem dados vindos do Censo Escolar e do SAEB, agregados por Brasil, regiões, estados, municípios e escolas, na forma de uma enorme consolidação de todos os anos de sua existência (2005 a 2015). Os arquivos disponíveis para download mantém uma mesma estrutura. O que neles mudam são apenas as etapas ou os níveis de agregação.

Acesse: http://portal.inep.gov.br/web/guest/cenario-educacional

Microdados do Censo Escolar da Educação Básica (INEP)

Todas as informações coletadas para a produção das sinopses atualmente também podem ser encontradas nos Microdados da Educação Básica, no entanto, na sua forma mais bruta. Esses dados são mais voltados para pesquisadores que tem a necessidade de outras formas de agregação e análise que não estão disponíveis em outro lugar. Como eles é possível, por exemplo, redistribuir as matrículas por faixas de idade diferentes, combinar os dados de formação docente por aluno atendido entre outros. A riqueza desses dados, porém, esconde a necessidade de preparo técnico e experiência com dados educacionais, além de boa dose de paciência para baixá-los e transportá-los. Além desses requisitos é preciso uma boa comunicação com o INEP ou com as secretarias estaduais que manipulam dados do Censo Escolar na íntegra, desde a coleta. Mas a recompensa é extremamente gratificantes pois colocando em números bem gerais os microdados possuem, só de matrícula, mais de 500 milhões de linhas de registro ao longo de seus 10 anos de produção.

Acesse: http://portal.inep.gov.br/microdados

Microdados do Sistema Nacional de Avaliação da Educação Básica – SAEB (INEP)

O SAEB reune as principais avaliações feitas como subsídio à análise da qualidade do ensino e da aprendizagem nas escolas públicas e privadas brasileiras. Os dados trazem a mensuração da proficiência em língua portuguesa e matemática, além de informações sobre o contexto em que vivem e estudam crianças e jovens do 5º e 9º anos do ensino fundamental, e da 3ª série do ensino médio. Todos esses dados são oriundos da Prova Brasil/ANRESC (censitária e apenas para 5º e 9º ano) e da Aneb (amostral e apenas para 5º e 9º anos, e 3ª série). Apesar de possuir inúmeros canais para a disseminação dos dados o melhor lugar para encontrá-los, mesmo consolidados, são os microdados. Ao baixar os arquivos de microdados você terá acesso aos resultados por escola, por município, por região e por Brasil. As mesmas ressalvas feitas para os microdados do Censo Escolar também valem para o SAEB.

Acesse: http://portal.inep.gov.br/microdados

Microdados da Avaliação Nacional de Alfabetização – ANA (INEP)

Seguindo lógica muito parecida com a dos dados do SAEB os microdados da ANA também disponibilizam informações sobre proficiência em língua portuguesa e matemática, mas trazem como novidade a mensuração da proficiência em escrita, todas realizadas no 3º ano do ensino fundamental. Como o SAEB, também é nesses microdados que você irá encontrar a consolidação por várias agregações geográficas.

Acesse: http://portal.inep.gov.br/microdados

Microdados do Exame Nacional do Ensino Médio – ENEM (INEP)

Um dos microdados mais importantes para compreender a evolução da qualidade da educação básica brasileira é o ENEM. Seus microdados são dos mais ricos pois permitem obter a proficiência de cada aluno nas áreas de Linguagens, Matemática, Ciências da Natureza e Ciências Humanas. Também fornece os resultados deles em Redação, inclusive divido por cada uma de suas 5 competências. Também traz informações contextuais sobre a vida e os estudos dos candidatos, tanto aqueles que estavam concluindo o ensino médio, como daqueles que ainda estão treinando ou já concluíram o ensino médio. Os dados se referem tanto à sua versão mais antiga, de 1998 a 2008, ou de sua versão mais recente iniciada em 2009. Gostaríamos também de estar fazendo referência à forma consolidada por escola dos resultados, muito usada na divulgação dos rankings, mas ela não possui uma divulgação oficial regularizada. No entanto, em 2013, 2014 e 2015 elas foram disponibilizadas junto com os microdados. Pela especificidade, porém, esses microdados também merecem bastante atenção na hora de produzir dados consolidados, principalmente por escola.

Acesse: http://portal.inep.gov.br/microdados

Bônus: FTP público dos microdados do INEP

Na falta de algum dos microdados na página do INEP (como é o caso do SAEB 2007 e 2009) vá direto a fonte de FTP público da instituição. Não é um primor de organização mais vai ajudar muito se você deseja cortar caminho.

Acesse: ftp://ftp.inep.gov.br/

Microdados da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (IBGE)

Para quem achava que só o INEP produzia dados educacionais no Brasil, tem que saber de onde vem as principais análises sobre o desenvolvimento da educação nacional. Apesar de muito vasto o Censo Escolar não é usado para quase nenhum indicador de monitoramento do Plano Nacional de Educação, cujos principais dados vem quase exclusivamente da PNAD. Por isso, deixamos aqui a dica de acessar os dados coletados e produzidos pelo IBGE todos os anos. No entanto, conhecimento e experiência específica serão necessários pois os dados tem estrutura e organização bem diferente dos citados anteriormente. Por ser amostral e não ter variáveis intuitivas será necessário trocar ideias com instituições que já manipulam como o próprio INEP, o movimento Todos Pela Educação ou universidades com faculdades relacionadas (estatística, economia e educação). Apesar do desafio ampliado esses dados vão garantir que você produza indicadores como taxa de matrícula (ou escolarização) líquida, taxa de atendimento, taxa de conclusão, taxa de analfabetismo entre outros.

Acesse: http://www.ibge.gov.br/home/estatistica/populacao/trabalhoerendimento/pnad2015/microdados.shtm